Manutenção de cabine primária

É um recurso utilizado em indústrias, condomínios, empresas, negócios e todo tipo de empreendimento que requeiram uma demanda de energia superior à disponibilizada pela concessionária de energia.

Geralmente, são estabelecimentos que possuem demanda de carga instalada superior a 75 KW.

Basicamente, em termos simplificados, é um conjunto de sistemas, equipamentos e componentes que transformam os níveis de tensão fornecidos por todas as concessionárias de energia elétrica que passam de 13,8kV para os níveis de tensão de uso mais comum, como 110V, 220V, 380V, 440V, etc.

Os principais benefícios da utilização de cabines primárias, além da segurança, é a redução significativa nos gastos com energia elétrica, o que equivale a uma economia de até 29%.

É também um recurso essencial para a distribuição segura da energia elétrica fornecida por todas as concessionárias de energia elétrica do país. Por se tratarem de instalações elétricas de média tensão, as cabines primárias ou subestações de energia requerem alguns cuidados.

Na verdade, proteger essas instalações é uma obrigação imposta por normas regulatórias para qualquer atividade. Existem também normas da ABNT especialmente elaboradas para a construção e manutenção dessas cabines.

Isso porque, sem a devida manutenção, o estabelecimento corre sérios riscos de acidentes, quedas de energia e paradas não programadas de produção.

Mas como é realizada a manutenção primária da cabine? Este cuidado é a forma mais eficiente e segura de mantê-lo funcionando adequadamente das instalações elétricas e garantir a segurança do local e evitar acidentes elétricos.

COMO FUNCIONA A MANUTENÇÃO DA CABINE PRIMÁRIA?

Existem dois tipos de manutenção de cabine primária de média tensão, preventiva e corretiva. A manutenção preventiva é a revisão periódica e o gerenciamento do plano de ação dos componentes elétricos que compõem a subestação para evitar grandes falhas elétricas e acidentes.

A ação corretiva é realizada quando a cabine principal já apresentou problemas, com um desligamento não programado. Por se tratar de um sistema elétrico bastante complexo, a manutenção preventiva levanta algumas dúvidas.

Como funciona? Essa é uma questão complexa, visto que em uma subestação de média tensão com cabine primária existem diversos equipamentos e componentes elétricos. Cada um deles tem necessidades diferentes.

seguinte forma:

Realizamos uma análise preliminar do que precisa ser feito e elaboramos um escopo técnico detalhado e completo com todas as ações necessárias de acordo com as normas regulamentares vigentes para esses serviços (NR 10 – Segurança em instalações e serviços elétricos; NBR 5410, elétricas instalações de baixa tensão; NBR 14039, instalações elétricas de média tensão; e NBR 5356, transformadores de potência).

Depois de todas manutenções preventivas na cabine primária forem concluídos é emitido um laudo técnico atestando todas as correções caso seja preciso ações que poderão ser tomadas de correção.

Os procedimentos realizados em uma manutenção de cabine primária

• Limpeza dos equipamentos;
• Inspeção e verificação dos cabos de media tensão e baixa tensão;
• Reaperto e verificação das buchas de baixa e média tensão;
• Reaperto e inspeções visual das conexões de aterramento;
• Medição de isolação entre AT/BT, AT/Terra e TB/terra;
• Medição da resistência ôhmica dos enrolamentos e da relação de transformação;
• Reaperto das conexões MT;

• Relés de Proteção:

• Inspeção visual, de ruídos, posição, varetas, limpeza do equipamento;
• Verificação das partes móveis e do fluídos, amortecedores.
• Ensaios operacionais relés / disjuntor ensaios de operação por falta de fase, Sub e Sobretensão;

• Disjuntor de Media Tensão:

Exame das partes metálicas quanto à corrosão, do mecanismo de operação e dos isoladores quanto à rachadura; – Limpeza e lubrificação do equipamento; – Teste de operação manual e inspeção dos cabos de comando; – Reaperto das conexões dos cabos de comando; – Verificações do intertravamento, da câmara de extinção de arco, dos contatos fixos e móveis, desgaste e pressão dos contatos. Nossa equipe também realiza o reaperto das conexões de entrada e saída de MT, medição da resistência de isolação e contato. Além da troca do óleo mineral isolante dos polos, quando necessário.

CHAVE SECCIONADORA DE MÉDIA TENSÃO

Limpeza do equipamento, exame das articulações, pinos molas e travas; – Operação e alinhamento do fechamento dos contatos; – Lubrificação das partes móveis; – Verificação das condições dos isoladores e suportes, do intertravamento e do estado das hastes de acionamento e contatos; – Reaperto das ligações à terra, medição da resistência de isolação e da de contato; – Testes de intertravamento elétrico (KIRK) e das aberturas e simultaneidade.

TRANSFORMADORES DE POTENCIAL TP´S:

Limpeza do equipamento; inspeção das partes metálicas, conexões e dos fusíveis e bases; – Medição da resistência ôhmica dos enrolamentos e da resistência de isolação; – Inspeção dos isoladores quanto a trincas e rachaduras.

TRANSFORMADORES DE CORRENTE TC’S:

Limpeza do equipamento, inspeção das partes metálicas e conexões; – Medição da resistência ôhmica dos enrolamentos e de isolação; – Inspeção dos isoladores quanto a trincas e rachaduras; PARA RAIOS DE LINHA: Limpeza do equipamento; – Verificação das ligações à terra e dos terminais; – Inspeção da porcelana quanto a trincas e rachaduras; – Medição da resistência ôhmica de isolação e da malha de terra.

CABOS E MUFLAS DE MÉDIA TENSÃO:

Verificação geral das muflas e terminações, da resistência de isolamento, do estado do aterramento e das conexões e continuidade das blindagens; – Reaperto geral das Conexões e aterramento das blindagens; – Limpeza das muflas com solvente dielétrico de alta resistividade e reaperto das conexões; – Medição da Resistência ôhmica de isolação.

× Atendimento WhatsApp